sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

E se...

E se nunca mais eu for
pétala
da pálida flor?
E se assim
de repente
eu permanecer
fértil
de todas as palavras
e nunca mais sentir
medo
de calar subitamente,
será que essa cor
que a flor ganhou
transforma
pra todo o sempre
a vida que era quase
invisível
em riso que não se esconde
e deixa as manhãs
ensolaradas
com gosto de chuva fina
rede
e abraço
que faz estremecer?...

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Há treze anos...


Chuviscava
eu tinha medo
eu cheguei cedo
eu quis voltar
Minha mão tremia
eu hesitei
Meu coração
não me cabia.

Eu não sabia
que seria
tão feliz.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Inquietude















Ao menos não guardo a dúvida
nesse pote de poesia
desnuda de vergonha.
Tenho, sim, um sinal
que me acompanha:
uma ânsia que corre
em minhas veias
e limita meus medos
a aranhas, cobras e afins.
Medo de amar?
Nem sei o que é.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Dos sonhos que angustiam

Porque estava insegura ficou espiando da beira. Até que o ar fresco e a vontade de experimentar novas aventuras a fizeram pular de cabeça. A sensação da água entrando nos pulmões era incômoda, e deu-se conta que estava sozinha ali no meio de um sonho angustiado. A respiração era impossível, e os braços agitavam-se freneticamente, numa tentativa urgente de não sucumbir à violência do mar em ressaca.
Não, ela não sabia nadar. Mas tentou até o fim.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Playlist

Embalando minha noite deliciosamente nublada, 8 músicas cheias de significados...
1. Sob Medida - Fafá de Belém (audaciosa até a última vírgula...)
2. Encontros e Despedidas - Maria Rita (Lembra que tudo acaba. Pra recomeçar depois...)
3. Coração Selvagem - Belchior (Corações selvagens não temem o amor...)
4. Paixão - Kleiton e Kledir (precisa explicar?...)
5. O Bem e o Mal - Danilo Caymmi (pra acalentar meu lado B)
6. I Need You - 14 Bis e Boca Livre (Beatles beeem gostoso na voz desses caras incríveis...)
7. Poderoso Chefão, a Canção - Orlando Morais (Porque o amor transforma, e é tão bom!...)
8. Tatuagem - Chico Buarque (fala sério, pensou mesmo que eu ia esquecer?...)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Nem sei...


O que seria
dessa minha existência
quase insípida
sem as surpresas
transformadoras
do amor que plantei?...

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Pequena felicidade

A palavra que ecoa no ouvido
não chegou a ser dita
mas trouxe um brilho diferente
a esta manhã sem sol.

O dia parecia estéril
até que a frase surgiu
pequena,
iluminada
despertando o amor que escorria
distraído
por baixo da porta...

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Livros soltos hoje cedo

Quatro novos livros fazem parte desde hoje cedo do projeto Livro Livre e estão circulando por aí:











Se você encontrar algum deles pode levá-lo para ler. Depois, não esqueça de soltá-lo novamente!...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Pra nunca mais



Ter ainda
um último beijo

Fazer amor
até saciar
o último desejo

E então partir
pra nunca mais...
Nunca mais...
Até amanhã
de manhã cedo

(Augusto Oliveira)

Palavras que não se guardam...












Recebe esse sentir
que rabisco
nessa página da tua vida
e acolhe em ti essa sensação
inesperada
e intensa
de ser senhor
- ainda que escravo -
deste amor
que não pensavas verdadeiro,
não querias absoluto,
não sabias eterno.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Projeto Livro Livre Amapá


O professor Ivan Carlo, do blog Idéias de Jeca Tatu, lançou um projeto muito interessante: o Livro Livre Amapá. Trata-se de uma iniciativa de incentivo à leitura patrocinada e divulgada pelos blogueiros amapaenses. A idéia é soltar livros pela cidade. A pessoa que pegar, leva para casa, lê e depois solta o livro em um local público, e assim permite-se que mais e mais pessoas tenham acesso à leitura. No blog Livro Livre Amapá é possível conferir os livros que foram libertados e comentar a leitura. Este blog aderiu à causa e vai começar a libertar alguns livros pela cidade. Iniciativas como esta, do Ivan, nos mostram que existem muitas maneiras de colaborar com a educação. Liberte um livro você também!

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Esperando...


Esperando
o medo perder a briga
a chuva embalar o sonho
a música certa tocar
Querendo
um dia inteirinho
uma rede
e o silêncio
de quem não precisa
não quer
não ousa
dizer nada...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

E eu estava lá...

Olhou ao redor e viu a mulher dos seus sonhos, observando distraída o movimento. Passou por todos, lentamente, antevendo o prazer de tocá-la, adiando a hora em que sentiria novamente em suas mãos a pele quente e macia daquela que habitava seus desejos mais íntimos e secretos. Um a um, cumprimentava a todos no caminho. Queria demorar, queria segurar ao máximo aquela sensação de gozo iminente, o prazer que sabia que viria em ondas fortes, inundando seu ser outrora sem vida.
Ninguém parecia notar que cada passo na direção dela era um passo a menos em sua dolorosa espera. O corpo todo tremia ao avançar adiante, como se todas as forças do seu ser estivessem empenhadas em combater aquele magnetismo que ela exercia em relação a ele. Ele que não podia, ele que não sabia como lidar com aquela dor na boca do estômago, que de todas as maneiras havia combatido aquele querer proibido, em vão...
Quando ela o viu, chegando perto, o sorriso mais iluminado do universo se abriu naqueles lábios rosados. Se não precisasse controlar-se tanto, se já não estivesse preso a tantas outras amarras... ah, quem quer saber de convenções, critérios, posturas... As mãos suadas e trêmulas dele ensaiaram um carinho discreto na pele rubra das faces de sua bela, segundos antes de encostarem-se num abraço quase casual, olhos semicerrados, fazendo de conta que não estavam aguardando pelo abraço, pelo beijo, pelos cheiros todos que emanavam daquele encontro...
Segredos devem ser bem guardados, e ela tentou se afastar. Ele riu baixinho da preocupação dela com a proximidade dos corpos que ardiam, mas em silêncio sabia que era o melhor a fazer. Antes de seguir, cumprimentando outras pessoas que vinham em sua direção, ainda teve tempo de tocar-lhe a cintura fina uma vez mais, num rápido carinho... E a noite toda converteu-se num único momento. E aqueceu os que amavam num envolvente e terno abraço cúmplice. Porque as palavras são todas absolutamente desnecessárias quando alguém fecha os olhos para abraçar.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Dos compartimentos secretos...










Essa mulher em que pensas
não tem a face que guardas.
Não sabes ler em sua face
porque não consegues ver
nos sorrisos escondidos
olhares dissimulados
gemidos, suores, pecados.
Traz a liberdade dos que não se prendem,
e reflete o brilho que não me cobre
dança cirandas que não me atrevo
atravessa pontes que nunca cruzo
grita palavras que eu não digo.
Essa mulher a que te acorrentas
é mais que um rosto que brilha
É a face do mal que não sabes
que trazes também contigo
rompantes, vendavais, enchentes
febre, crime e castigo.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.