quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

E eu estava lá...

Olhou ao redor e viu a mulher dos seus sonhos, observando distraída o movimento. Passou por todos, lentamente, antevendo o prazer de tocá-la, adiando a hora em que sentiria novamente em suas mãos a pele quente e macia daquela que habitava seus desejos mais íntimos e secretos. Um a um, cumprimentava a todos no caminho. Queria demorar, queria segurar ao máximo aquela sensação de gozo iminente, o prazer que sabia que viria em ondas fortes, inundando seu ser outrora sem vida.
Ninguém parecia notar que cada passo na direção dela era um passo a menos em sua dolorosa espera. O corpo todo tremia ao avançar adiante, como se todas as forças do seu ser estivessem empenhadas em combater aquele magnetismo que ela exercia em relação a ele. Ele que não podia, ele que não sabia como lidar com aquela dor na boca do estômago, que de todas as maneiras havia combatido aquele querer proibido, em vão...
Quando ela o viu, chegando perto, o sorriso mais iluminado do universo se abriu naqueles lábios rosados. Se não precisasse controlar-se tanto, se já não estivesse preso a tantas outras amarras... ah, quem quer saber de convenções, critérios, posturas... As mãos suadas e trêmulas dele ensaiaram um carinho discreto na pele rubra das faces de sua bela, segundos antes de encostarem-se num abraço quase casual, olhos semicerrados, fazendo de conta que não estavam aguardando pelo abraço, pelo beijo, pelos cheiros todos que emanavam daquele encontro...
Segredos devem ser bem guardados, e ela tentou se afastar. Ele riu baixinho da preocupação dela com a proximidade dos corpos que ardiam, mas em silêncio sabia que era o melhor a fazer. Antes de seguir, cumprimentando outras pessoas que vinham em sua direção, ainda teve tempo de tocar-lhe a cintura fina uma vez mais, num rápido carinho... E a noite toda converteu-se num único momento. E aqueceu os que amavam num envolvente e terno abraço cúmplice. Porque as palavras são todas absolutamente desnecessárias quando alguém fecha os olhos para abraçar.

5 comentários:

Sam disse...

Essas suas palabras, esse encontro me causou borboletas no estômago.

Olá moça bonita de sorriso de paz, percebi que pisou em meu chão e que anda me seguindo rsrs. Como também plantou palavars boas por lá, agradeço!

Espero que tenha se sentido acolhida e que retorne lá em casa sempre que assim for o seu desejo, pois sua presença já é muito bem-vinda.

Saiba, gostei daqui.
Voltarei então,

Um até breve dessa sua amiga desconhecida desse nosso mundo de escritores e poetas.

Abraços, flores e estrelas...

Re disse...

Delícia de texto!
beijo
Re

Márcia(clarinha) disse...

Esse fechar de olhos é magia que será lembrada para sempre.
Belo texto.

lindo dia flor
beijos

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Fazer amor é andar por
Caminhos da alma
Com o toque de um beijo
Sem pressa...
Sentir o roçar da mão no ombro
Daquele que caminha ao lado,
Acordar sempre com um
Eu te amo,
Renovado e sincero...
Ver juntos o por do sol,
Em silencio ler um livro
Numa velha poltrona..
Fazer amor é pisar na eternidade,
Fazer estrelas e sentir
O perfume das manhãs,
Sorrisos de sol,
Olhos de mar...
Fazer amor é realizar sonhos,
Viver na consistência do céu...

Sônia Schmorantz

Só passei para te desejar um lindo final de semana
Abraços

Lilian Dalledone disse...

Sam: Seus escritos me proporcionaram a mesma sensação gostosa. Fico feliz com sua visita!

Re: Delicioso mesmo foi estar lá e ver de perto, com esses olhos que imaginam mil coisas...

Márcia(clarinha): Quando fechamos os olhos gravamos pra sempre na memória a sensação...

Tenham todos os lindo dia!...

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.