segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Caos

Tenho uma desordem natural
que não me perturba
porque faz parte da minha essência.
Tudo tem o seu lugar no meu caos particular
e mesmo o que parece estar perdido
tem uma finalidade
um desenho próprio
um rabisco destinado a virar poesia.

Não me desfaça dos meus despojos
histórias que não terminei de contar
e que me assombram vez por outra
do meio da pilha de papéis
que enfeita minha escrivaninha.

6 comentários:

Renivaldo disse...

Estou retribuindo a visista. Adorei seu blog.

yehuda disse...

a desordem é essencial
a ordem é do debil mental
a histórias mesmo acabadas
permanecem inacabadas
ninguém se perde em caotica poesia
os rabiscos alimentam
o não escrito

Ronaldo Monteiro disse...

Que bom que tenha gostado do texto e do meu blog.. mt bom o seu também.. parabáns!
bjuss

Mineira disse...

Também tenho muitas histórias inacabadas, planos então, já perdi a conta...

See you...

...

Iêda disse...

Acho que nossas escrivaninhas são parecidas... não arrume meu caos senão me perco...

bjs,

Iêda

Vássia Silveira disse...

Lilian, colocando um pouco de ordem em meu caos (tão e sempre necessário), vi que não tinha retribuido sua visita ao Gavetas e Janelas... Adorei a foto e o post: me senti em casa. Abraços e parabéns por seu espaço.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.