terça-feira, 6 de janeiro de 2009

As aparências enganam...

















Confissão

Que esta minha paz e este meu amado silêncio
Não iludam a ninguém
Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta
Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios
Acho-me relativamente feliz
Porque nada de exterior me acontece...
Mas,
Em mim, na minha alma,
Pressinto que vou ter um terremoto!

(Mário Quintana)

4 comentários:

Flávia Jorge disse...

engraçado que no meu exterior as coisas andam meio paradas tb e tomara que hajam terremotos na alma...

belas palavras de Quintana, saudade desse espaço...

feliz continuação dos dias pra vc em 2000inove...

bjo.

uma personagem disse...

que lindo isso.
acho que ele escreveu isso num período como agora, de fim/início de ano.

Iasminne Fortes disse...

Eu adoro Quintana. Por muitas e muitas vezes ele falou por mim, expressando meus sentimentos em forma de palavras.

Beijos

Flávia disse...

a minha alma padece constantemente dessas catástrofes naturais... mas o que seria da alma se a ela fosse remanso?

Beijo!

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.