segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Não sabia...















Não sabia anoitecer em paz
e remexia as palavras secas
em busca de uma que acalentasse.

Nuvens demais sobre a lua
e nenhuma claridade no quarto
enorme.

Toda a treva armazenada no peito
cheio de cicatrizes.
Mas não tinha medo.

Só não sorria.

Um comentário:

Coisas de Ana disse...

Olá Lilian, que poema mais lindo...aliás gostei muitissimo de todos os que ja li...de um encanto sem tamanho!
E obrigada por seguir o meu blog.
bjs

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.