segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Parágrafos














Leio e releio
as palavras plantadas ao acaso
procurando algum sinal.

Mal humorada
tomo um café
sacudo o livro,
discretamente.
Quem sabe a persistência infantil
mostre a chave das entrelinhas
pra que eu possa finalmente
dizer que entendo.

Mas lá no fundo
eu acho
que todas as pistas eram falsas.

Ninguém matou ninguém.

2 comentários:

Kiara Guedes disse...

rsrs amei! sempre q acontece, fico me perguntando (e zombando de mim mesma) isso é inteligencia ou lesera? Bjs

Cris Rosa disse...

Tem um presentinho para você lá no meu blog. Postagem "Prêmio Scribbler Award"
Beijos....

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.