terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Insone





















Minhas mãos pálidas
percorrem o caminho conhecido
sem se deter.
Mesmo quando eu não quero
moldar-te
morder-te
algo me puxa em direção às costas
às coxas
à toa
me debato.
Minhas unhas vermelhas sabem
como tatuar essas tardes
nas tuas noites insones.

Dormir é para os fracos.

4 comentários:

kiara Guedes disse...

Dessa modalidade de insonia é que caminha a humanidade... Amém!

EDUARDO POISL disse...

-- Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba.
Não ame por admiração,
pois um dia você se decepciona.
Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.
Madre Teresa de Calcutá

Desejo uma linda semana com muito amor e carinho.
Abraços

É o que eu acho. disse...

Gostei das palavras. Ainda bem que não cabem em ti, para poder expor para nós. hehe

Augusto Oliveira disse...

lindamentemente linda tua poesia...a mim, restou-me inventar uma palavra pra chegar perto do q eu queria dizer...sou seu fã. abçs

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.