sábado, 10 de outubro de 2009

Madrugada






















O amor desesperado
rasga as vestes da madrugada sonolenta
toma pra si, rancoroso e embriagado
a mulher que não pode conter.
Ela parece não querer
mas não importa:
a fome de possuir é maior que o medo
E ela há de pensar que foi um sonho
e consolar-se amanhã nos braços lanhados
do amor que dilacera-se em segredo.

Um comentário:

Iara na Janela disse...

"braços lanhados do amor"

linda imagem.

beijos...

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.