domingo, 1 de novembro de 2009

Madura




















Quando eu fecho os olhos
que não enxergam além das cercas do meu jardim
tenho a impressão que o dia se faz noite
e um vento frio atravessa meu corpo banhado
provocando um arrepio comprido
que começa na nuca
e eu nem sei onde termina.

Muitos anos atrás eu me achava madura
mas não fazia idéia do que era estar pronta.
Agora eu estou.

Ou quase.

Um comentário:

Inez, como no tempo da vovó disse...

QUERIDA, VISITAR SEU BLOG É UMA TERAPIA....
EU AMO!!!!!!!!!
PARABÉNS POR ESSE DOM
MIL BJS
INEZ BARBOSA

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.