domingo, 21 de novembro de 2010

Saudade








 







Essa saudade de molhar os olhos
é úmida como janeiro
refrescante como a chuva que cai na tarde morna
perfumada como o caminho que leva à ponte
que liga passado e presente sem perceber.

Essa saudade
que é grande mas não oprime
colore meus olhos como as lâmpadas
das árvores enfeitadas
que contávamos da janela do carro
na infância que nunca saiu de mim.

Um comentário:

Leiloca disse...

Poxa irmã, ler este teu texto me deu uma saudade danada da nossa infância. Uma saudade boa, gostosa de sentir. Saudade de quem viveu uma infância feliz.
Beijos

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.