quarta-feira, 27 de maio de 2009

Além do vento frio...















Este ser imperfeito
grita dentro de mim.

Não posso correr mais depressa
e os pensamentos atropelam meu silêncio.

Queria ser diferente
andar no prumo
ter a vida toda arrumada
em gavetas azuis.

Mas dos desejos de ser alguém
que marca
só consegui uma cicatriz
a enfeitar meu rosto.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

É verdade...


Não engulo a palavra
que pulsa.
Ousar também é perceber
que chega
de tentar ser...
Melhor é ser de uma vez.


Para Kiara, que mesmo sem querer desatou um nó.

Do meu silêncio













Anda em mim essa preguiça
de ser
que me impede de mexer
os sentimentos
que não me deixa ser
abusada
não me permite ver
o outro lado
e me faz parecer essa mulher
cansada.

Desses dias de silêncio
forçado
Vazios de palavras
ocos de sentido
acalento o lento desabrochar das horas
que pousam inférteis em meu ouvido.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Despedida















Não cai mais chuva
mas o vento fresco lembra
o aconchego antes da partida.
Tudo o que eu queria agora
era o arrepio que percorria o corpo
a felicidade disfarçada
no semblante de quem não ri.
O olhar faminto
indisfarçável
de cada momento
roubado.
A luz que emana
dos olhos que ousam
quer me iluminar,
mas não posso...
estou cega
outra vez...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Colcha de retalhos


Sigo emendando os retalhos
da vida que se reparte.
Pequenos pedaços de sonho
enfeitados
coloridos.
Em cada ponto
um pouco
de quem sou,
que eu mesma não sei dizer...
mas me pergunto todo dia
na esperança que a resposta
apareça nas estampas.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Shhhhh


















Silêncio.
Toda palavra adormeceu
Resta em mim essa lacuna eterna
que não preencho
não esqueço
não disfarço.
Tem horas que a felicidade é triste
e a calmaria é ilusória.
Quando não há jeito certo de dizer
eu não tento.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.