quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Espelhos















As ânsias que se repetem
numa louca ladainha
rompem todos os limites
da minha esquizofrenia.
Meus mundos se sobrepõem
meus gestos se confundem
minhas palavras se revelam
um porto quase seguro.
Se escrevo
estou sã.

Um comentário:

EDUARDO POISL disse...

Ninguém tem culpa
Daquilo que não fomos
Não ouve erros

Nem cálculos falhados

Sobre a estipe de papel;
Apenas não somos os calculistas
Porem os calculados

Não somos os desenhistas
Mas os desenhados
E muito menos escrevemos versos
E sim somos escritos

Ninguém é culpado de nada
Neste estranhar constante
Ao longe uma chuva fina
Molha aquilo que não fomos...

Autor: Desconhecido
Um lindo final de semana com todo carinho para você.
Abraços

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.