sábado, 19 de junho de 2010

Atrevida...





















Tento ouvir o som das palavras soltas
(aquelas que não estão nas tuas frases feitas)
Tento ouvir o que não falas
e maldigo minha pouca audição
pra meias palavras...

Mas num súbito descuido da palavra muda
enxergo as entrelinhas do que não me dizes
e num rompante de atrevimento
calo o resto das minhas dúvidas na tua boca.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Encontro

















Um querer desesperado
apertou as mãos geladas
da moça que não sabia
se corria
se ficava
se esquecia

Um querer indescritível
fechou os olhos do moço
pra toda e qualquer resistência

A queixa silenciosa
da distância entre os dois corpos
desfez-se rapidamente.

A noite quente
de céu nublado
justificava toda ousadia.
A pressa, envergonhada,
diluiu-se na chuva fina.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Coragem















Não temer é mais que não sentir o medo
é acalentar esse medo de mansinho
pra que ele não sofra
com minha lucidez.

É saber que minha presença permanece
em mim e em tudo que me cerca
mesmo quando já não estou.

E quando eu não mais estiver
inconsolada pelo que não tem jeito
é porque estou pronta.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Às vezes...


Perco a conta dos minutos insones

olhando pra cima

no quarto escuro


Assombrada pelo espelho

avisto no alto da madrugada

o fundo do poço.

sábado, 12 de junho de 2010

Sinais




















Gosto de olhar as marcas
roxas
do amor sôfrego
e descontrolado
impresso em meus braços
pescoço
e entre minhas coxas.
Sinais do que não cabe
nos minutos roubados
de quem acha que tem tudo
mas não tem mais
do que parte.
Por sorte.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.